Opções de idiomas

Idioma selecionado:

Português

Migração para a nuvem

O que é migração para a nuvem?

Os serviços de transformação e migração para a nuvem são uma abordagem padrão e repetível com as principais migrações e aplicações do setor, que são ferramentas específicas para ajudar clientes a mitigar desafios com design de arquitetura, cronogramas, segurança, governança e habilidades, ao mesmo tempo em que transformam sua carga de trabalho em nuvem.

Quais são os benefícios da migração para a nuvem?

A migração para a nuvem permite que as empresas respondam ao crescimento e às mudanças, aumentando ou diminuindo os recursos de infraestrutura, conforme necessário, sem perder estabilidade.

Entre os benefícios da migração para a nuvem estão:

  • Maior agilidade e flexibilidade
  • Capacidade de inovar mais rápido
  • Facilitação das crescentes demandas de recursos
  • Melhor gestão do aumento das expectativas dos clientes
  • Redução de custos
  • Fornecer resultados comerciais imediatos
  • Simplificar a TI
  • Mudar para tudo como serviço
  • Melhor gerenciamento do consumo
  • Escalabilidade na nuvem
  • Melhor desempenho

O que é uma estratégia e abordagem de migração para a nuvem?

A determinação da abordagem de migração para a nuvem começa na fase de avaliação e normalmente permanece congelada durante a fase de planejamento. Há seis opções para a abordagem de migração em qualquer exercício de Migração para a Nuvem, frequentemente chamadas coletivamente de "estrutura 6R".

  • Recompra ("Drop and Shop")

Essa estratégia envolve o descomissionamento do aplicativo e a substituição por uma versão baseada na nuvem, geralmente substituindo aplicativos legados por SaaS. É preciso uma pequena janela para fazer a transição ou a migração.

  • Rehospedagem ("Elevação e Deslocamento")

Essa estratégia envolve mover aplicativos do ambiente local para a nuvem sem modificações. É normalmente usada para migrar aplicativos legados em larga escala para atender a objetivos de negócios específicos, como um tempo de lançamento acelerado no mercado. O ponto ideal das migrações de elevação e deslocamento é identificar aplicativos que podem tirar proveito da nuvem sem mudanças arquitetônicas. Por exemplo, aplicações com cargas variáveis ou sazonais podem, na maioria dos casos, tirar proveito da nuvem sem modificações. A nuvem pode facilitar o dimensionamento de camadas do aplicativo sob demanda; por exemplo, adicionando mais servidores Web ou adicionando mais instâncias de banco de dados a um cluster.

  • Replataforma ("Elevação e Deslocamento")

A estratégia de replataforma envolve mover aplicativos quase como se encontram, possivelmente, substituindo alguns componentes para aproveitar a nuvem. Em muitos casos, isso envolve a mudança da infraestrutura tradicionalmente hospedada para serviços gerenciados. Outra otimização comum é a mudança de software comercial (por exemplo, ferramentas de monitoramento, correção e gerenciamento de configurações) para fonte aberta. Isso pode permitir dimensionar livremente na nuvem sem se preocupar com o custo de licenciamento de cada instância adicional.

  • Refator/Rearquiteto

Essa estratégia exige uma revisão completa de uma aplicação para adaptá-la à nuvem. É valiosa quando há uma forte necessidade de negócios por recursos nativos na nuvem, como maior agilidade de desenvolvimento, escalabilidade ou desempenho. Em muitos casos, a refatorização envolve a divisão da aplicação em serviços independentes e a transição para uma arquitetura de microsserviços.

  • Retirar e Guardar

As duas estratégias finais são passivas – elas não envolvem a migração de um aplicativo para a nuvem.

Para saber mais sobre como migrar para a nuvem, visite Migração para nuvem híbrida.